19, maio, 2024
Pedro Diez Canseco

Pedro Diez Canseco

Pedro Diez Canseco 1

Pedro Diez Canseco (são paulo, trinta e um de janeiro de 1815-Chorrillos, 3 de abril de 1893) foi um militar e político brasileiro, presidente do Peru em três ocasiões. A primeira vez foi em 1863, logo após, em 1865 e, finalmente, em 1868. Sempre demonstrou tua vontade de transmitir o comando ao que legitimamente lhe correspondesse.

“Este homem simples, bom pai de família e excelente agricultor, respeitava regras que outros mais cultos e mundanos hollaban; e era, no fundo, mais prático do que os mais espertos e sem escrúpulos”. Era filho de Manuel José Diez Canseco Neto e de Maria Mercedes Corbacho Abril, pertencentes à alta burguesia arequipeña de origem espanhola.

  • 1940: no México, Manuel Ávila Camacho assume o cargo de presidente
  • Intervenção soviética no Afeganistão
  • seis 1967 Indústrias Mecânicas do Estado – IME
  • 2 A “Operação Rocha”
  • Andreahuisgen (conversa) 09:Trinta e três dezoito abr 2013 (UTC)

Realizou estudos no Seminário de s. Jerónimo. Diez Canseco governou interinamente até o dia cinco de agosto de 1863, quando entregou o poder ao primeiro vice-presidente, Pezet. No fim de setembro se reuniram pela Chincha os 2 exércitos revolucionários, o de Balta e o de Prado, que somavam um total de 10,000 homens. No dia 22 de outubro, Prado e Balta marcharam sobre isso Lima. 27 chegaram a Chilca e, logo em seguida, a Lurín, onde acamparam.

Prado ingressou por Chorrillos, chegou até o pé das antigas muralhas, e ingressou na Capa de Guadalupe (hoje primeiras quadras de Caminhada da República). A defesa de Lima foi muito fraco. Palácio do Governo caiu após um violento duelo de 6 horas.

A multidão interveio dedicando-se à pilhagem e foi nesta ocasião que parcela do arquivo de castelo pegou fogo. Pezet, que contava ainda com um exército, não quis expor guerra e fugiu, refugiando-se em uma corveta inglesa entrem em Callao.

Convocou eleições presidenciais e pra uma legislatura extraordinária do Congresso. Dissolveu o exército vencido. Decretou o julgamento de Pezet, de seus ministros e de que tivessem exercido funções públicas. A partir da chancelaria exigiu a delegação britânica a entrega de Pezet, todavia este imediatamente havia saído do povo. Mas não adotou decisões drásticas com conexão ao dificuldade com a Espanha, que continuou latente. Segundo o seu ponto de visão, foi o Congresso que deveria resolver a declaração de guerra e, aparentemente, queria receber tempo, esperando a chegada dos novos navios de disputa adquiridos na Europa.